Avaliação da terapia nutricional enteral em pacientes idosos de um hospital público de Cuiabá-MT

Amanda Lenen Santos ESCOBAR, Gabriela Masson de SOUZA, Thaiani Alves da COSTA, Suzana Souza ARANTES

Resumo


Introdução: Os idosos constituem um grupo de risco de desnutrição devido a uma série de mudanças fisiológicas, sociais, econômicas e psicológicas relacionadas com o processo de envelhecimento. Uma nutrição deficitária favorece o aparecimento de doenças que, por sua vez, repercutem negativamente no seu estado nutricional, instaurando-se desta maneira um ciclo vicioso, má nutrição – doença. Uma das síndromes principais é a sarcopenia, pois é caracterizada pela perda progressiva e generalizada de massa muscular e força, em consequência do envelhecimento. A Terapia Nutricional Enteral (TNE) é a peça fundamental nos cuidados dispensados aos pacientes, indicada em estado agudo e crônico quando não consegue atingir suas necessidades nutricionais por via oral. Objetivo: Avaliar a adequação de calorias e proteínas da terapia nutricional enteral de pacientes idosos internados em hospital público de Cuiabá-MT. Materiais e métodos: Trata-se de um estudo transversal, com abordagem quantitativa em um realizado hospital público de Cuiabá – MT. A população de estudo é composta por idosos hospitalizados com uso de nutrição enteral. Resultados: Foram avaliados 20 pacientes idosos dispostos em quatro enfermarias, sendo que 55% eram do sexo masculino e 45% do sexo feminino. A idade média foi de 69 anos variando de 60-86 anos. A partir dos dados obtidos pela classificação do OPAS, a maioria dos participantes deste estudo encontraram-se com baixo peso (55%). Os dados encontrados mostraram diagnósticos de acidente vascular encefálico (AVE) com 45% dos pacientes e traumatismo craniano (TCE) 15% e tendo como outras patologias doença pulmonar obstrutiva crônica, insuficiência cardíaca, renal, epilepsia, Alzheimer, Parkinson, sepse, pneumonia e fratura femoral. Outra consequência que agrava a desnutrição é o paciente não alcançar a necessidade energética e proteica. A média das necessidades energéticas prescritas para os pacientes nesta pesquisa foi de 1674 kcal/dia ou 28 kcal/kg/dia. Contudo, a quantidade energética infundida foi de 1303 kcal/dia ou 22 kcal/kg/dia, apresentando déficit considerável de 371 kcal/dia.  A relação da média da necessidade proteica prescrita encontrada foi de 79,5 g/ptn/dia ou 1,3 g/ptn/kg. Sendo que a necessidade proteica infundida foi de 54 g/ptn/dia ou 0,9 g/ptn/kg, a diferença da quantidade de proteína prescritas versus infundida equivale a 25,5 g/ptn/dia. Outro método avaliativo, é o SARC-F, contendo 90% de pacientes com risco de sarcopenia e 10% sem risco. Os resultados da MAN, 95% dos pacientes apresentaram diagnóstico de desnutrição, 5% risco nutricional e nenhum paciente (0%) encontrava-se com estado nutricional dentro da normalidade. Nenhum dos pacientes avaliados, tiveram a constipação instalada. Referente as complicações gastrintestinais, 15% dos pacientes apresentaram êmese. A incidência de diarreia nos pacientes com TNE foi de 30%. Devido a diminuição da proteína infundida juntamente com o tempo de permanência prolongada no hospital tendo como contingência lesão por pressão em 30% dos pacientes pesquisados. Conclusão: A maioria dos pacientes estão desnutridos, assim como possuem uma alta prevalência de risco sarcopênico e DCNT. As complicações inerentes a infusão da terapia nutricional enteral se mostraram aumentadas pela diarreia e úlcera por pressão. Encontrou-se uma desadequação entre a quantidade prescrita versus infundida quando comparados com valores de referências.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

ISSN: 2594-6757