Perfil nutricional e consumo da merenda em escolares do Ensino médio do municipio de várzea-grande

Abilayne Santos de ALMEIDA, Agleiciane Botelho de CAMPOS, Ana Karoline Lopes da SILVA, Andrea Silva STAFFORD, Yasmin Mairy de Arruda BORGES, Marina Satie TAKI, Jackeline Corrêa França de Arruda Bodnar

Resumo


Introdução: O perfil nutricional dos adolescentes de escola pública é de grande relevância, onde ocorre um aumento na socialização e independência dos mesmos. Ou seja, é nessa fase que é possível intervir nos seus hábitos de vida inclusive nutricional e levar esses adolescentes a se constituírem adultos no futuro com uma saúde melhor, além disso, os adolescentes hoje passam maior parte do tempo no colégio e deveriam realizar a sua alimentação baseada na merenda escolar. Objetivo: Descrever o estado nutricional e o consumo de merenda em escolares do Ensino Médio do Município de Várzea Grande - MT. Materiais e métodos: Trata-se de um estudo transversal, realizado em estudantes matriculados no ensino médio com idade de 14 a 19 anos em escola Estadual da Cidade de Várzea Grande, MT. Foi realizado antropometria (peso e estatura), e diagnóstico nutricional através do índice de massa corporal (IMC). Foi aplicado um questionário elaborado pelos autores da pesquisa relacionado às características demográficas socioeconômicas e estilo de vida sobre hábitos alimentares e consumo de merenda escolar. A análise estatística utilizada foi a frequência absoluta e relativa pelo programa Excel 2013. Resultados: Foram investigados 101 escolares, a maioria dos alunos encontravam-se eutroficos 78,2%, porém observou-se um percentual significativo de excesso de peso 21,8%. Quanto à frequência do consumo alimentar no ambiente escolar, observou-se que 79,2% dos alunos consomem a merenda escolar, consomem salgados na cantina 57,4%, alimentos como sorvete, açaí ou outros alimentos doces na cantina a maior parte dos alunos não consome a merenda 63,4% e entre os escolares que consome refrigerante 51,5%. A maioria dos escolares consomem a merenda escolar, mas o percentual de consumo foi maior entre o sexo feminino 93,3%, nos escolares do 2º ano 94,6%, e em estudantes que moram em domicilio com menos de 4 cômodos 100,0%, com mais de 7 pessoas no domicilio 100,0% e morando com conjugue/namorado (a) 100,0%. 14,3% dos alunos que não consomem a merenda escolar foram classificados com obesidade e 19,0% com sobrepeso, enquanto que 81,2% dos escolares que consomem a merenda escolar foram diagnosticados com eutrofia. Conclusão: Nota-se a interação entre a obesidade e quem se alimentam da merenda escolar mais os alimentos que são disponibilizados na cantina. Portanto, é necessário criar uma consciência dentre os jovens para que eles possam entender que o consumo da merenda escolar atinge os objetivos nutricionais e tem uma fonte com maior equilíbrio e qualidade dos alimentos. Para isso, o nutricionista precisa junto com a escola deve traçar estratégias para enfrentar esses índices e mudar a realidade, sendo fundamental que a educação nutricional e alimentar seja inserida no contexto escolar para que os alunos entendam a importância e a fundamentação da ingestão de certos tipos de alimentos, já que com a compreensão da importância e da qualidade é possível contornar a situação e aumentar o consumo de alimentos adequados e refletir não apenas nas escolas, mas levar para o domicilio esse ensinamento perpetuando a educação continuada sobre a importância de uma alimentação saudável em todas as escalas.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

ISSN: 2594-6757